quinta-feira, 22 de novembro de 2007

O sorriso e a vergonha...

Era a tarefa mais simples do mundo: Cortar o cabelo, no entanto, tornou-se um acontecimento. Enquanto o barbeiro cortava o meu cabelo e falava sobre o centro-avante da seleção, uma senhora, negra, magrinha uma saia florida, chinelinhos nos pés, um chpéu na cabeça e um sorriso no rosto. Em seus braços um grande envelope. Ela, ainda com o sorriso, pergunta se teria muita gente para cortar o cabelo com um barbeiro. Ao receber a resposta que não, ela disse que gostaria de cortar... - Quero passar a máquina zero. Diante do espanto, o barbeiro chama uma cabelereira, eis que a senhora diz: - Não pode ser com os senhores mesmo... só quero passar a máquina zero... Raspar a cabeça... Virar soldadinho...

Em seguida, no único momento em que tirou o sorriso do rosto, perguntou se era muito caro. Ao ouvir a resposta, novamente abriu o sorriso. Sentou-se na cadeira, que os barbeiros tiveram a sensibilidade de colocar no fundo da loja, e raspou a cabeça. Enquanto, cortava o cabelo, comentava que teria que passar por uma batalha e estava preparando o seu espírito. O envelope continha um diagnóstico de câncer e uma receita para começar as terapias de medicamentos e radiação. Os cabelos, que seriam perdido, foram retirados com coragem pela frágil senhora.

Rapidamente, teve a cabeça raspada, que ela em seguida cobriu com o chapéu. Mais animada do que entrou, ela deu dez reais, reitarados com garbo da sua simples bolsa, e sorrindo, fez questão de mostrar para todos no salão, o que ela disse ser o seu novo look. Ainda disse que estava se sentindo linda. Sem tirar o sorriso do rosto em nenhum momento, recolocou o chapéu e seguiu seu caminho.

Tive vergonha do meu sorriso, tive vergonha da minha tristeza... Sobretudo da minha covardia diante de qualquer problema... A "frágil" senhora era valente por demais, levou com ela, além do seu sorriso, seu envelope, e sua coragem, a minha admiração. Deixou no salão, 10 reais, seus cabelos e um grande lição: Não desistir .... Nunca!

2 Participações especiais:

Carlos Mota disse...

Tiago, tu és brilhante quando engendras pelo caminho de cronista do cotidiano. Esta é a tua linha, vê se entende!!!

A Menina Ruiva disse...

Gosto dos teus textos Tiago, são todos sinceros.
bjo